CAMBARÁ:

 

 

Nome científico: Hymenolobium petraeum, Leguminosae.

Outros nomes populares: angelim-amarelo, angelim-da-mata, angelim-do-pará, angelim-macho, mirarema, taxi.

Ocorrência:
Brasil: Amazônia, Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia.
Outros países: Guiana, Guiana Francesa, Suriname.

Camb_-_face   Camb_-_lat

 

CARACTERÍSTICAS GERAIS

  • Características: O cambará possui cerne e alburno distintos pela cor, cerne castanho-avermelhado claro ou escuro, com manchas castanhas mais escuras devido à exudação de óleo-resina, alburno castanho-pálido, brilho ausente, cheiro e gosto imperceptíveis, densidade média, dura ao corte, grã direita a revessa, textura grossa, aspecto fibroso.

DURABILIDADE / TRATAMENTO

  • Durabilidade natural: Madeira durável a muito durável em relação a fungos apodrecedores, moderadamente resistente a brocas marinhas e resistente a cupins-de-madeira-seca.
  • Tratabilidade: O cerne é difícil de preservar e o alburno é muito fácil de preservar.

 CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO

  • Trabalhabilidade: A madeira de cambará é fácil de ser trabalhada. Acabamento de regular a bom na plaina, torno e broca. É moderadamente fácil de serrar e aplainar, é fácil de pregar, parafusar e permite acabamento satisfatório. 
  • Secagem: A secagem é muito rápida em estufa, apresentando pequena tendência a torcimento e arqueamento. A secagem ao ar livre é moderadamente difícil. 


USOS

  • Construção civil:
     Telhados:
          vigas
          caibros
     Esquadrias:
          portas
          venezianas
          caixilhos
     Interna, decorativa:
          forros
          lambris
    Estrutural:
          partes secundárias de estruturas
          ripas
    Uso temporário:
          pontaletes
          andaimes
          fôrmas para concreto
  • Mobiliário:
     Móveis 
       Laminas

 

 

 

 

* Fontes: Ibama, IPT.

 

Diadema - SP

4075.1092 / 4075.1634  /  4075.4066 / 4075.4151 

mdiadema@uol.com.br

  Site Map